ONG - Amigos de São Francisco ONG - Amigos de São Francisco

DICAS

Adoção de cachorros e gatos adultos

Sobre as vidas que você transforma - Fabio Christófoli @fabioochris

Até hoje eu tive dez cachorros. Todos adotados e todos muito amados. Mas nesse texto eu peço licença para destacar dois: Layla e Lamar. E o motivo dessa separação é simples. Foram os cachorrinhos que tive numa diferente fase da minha vida. Quando eu saí da casa dos meus pais.

E isso me trouxe novas responsabilidades e uma experiência completamente diferente.

Até então se algum dos meus cachorrinhos adoecia meu pai ou minha mãe tomavam a frente para ir no veterinário. Eram eles que compravam ração e se preocupavam com vacinas. Para mim ficava o carinho e uma ou outra obrigação. O que tornava tudo muito fácil.

A Layla e o Lamar foram novos desafios, novas lições. Lições que eu gostaria de compartilhar com vocês por aqui.

Vamos começar com a Layla, uma poodle idosa que minha ex-namorada encontrou amarrada em um poste em uma movimentada avenida.

Bom, não é exagero dizer que ela estava destruída. O pelo sujo, enosado e uma pele vermelha, cheia de alergia. Além disso ela estava fraca, tão fraca que mal conseguia se manter em pé. Um problema na coluna fazia com que ela sentisse muita dor.

Tanto eu quanto os veterinários achávamos que ela não duraria muito tempo.

E, como eu disse, eu era novo nessa história de cuidados. E aquilo me dava medo. Medo de não ser capaz de dar tudo que aquela cachorrinha precisava. Medo de me envolver com um ser que parecia prestes a morrer.

Mas do meu lado eu tinha uma pessoa forte, que me ensinou que não havia coisa melhor para se fazer naquele momento. E ela estava certa. Mesmo com todos problemas, a Layla se recuperou e viveu três anos felizes do nosso lado. Se no começo ela mal caminhava, em alguns meses ela até arriscava uns saltos. Um esforço lindo para mostrar a gratidão que ela tinha.

E acreditem, sentir essa gratidão é uma das coisas melhores coisas que você pode receber na vida.

No começo não foi fácil. Ela parecia ter muito medo de carinho, como se tivesse sofrido muito na mão dos humanos. Se tentássemos um toque, ela se retraia. Mas ao passar do tempo, foi se acostumando com meu toque. Um dos dias mais inesquecíveis da minha vida foi quando ela se sentiu à vontade para deitar no meu colo. E ali ficou por um tempo.

Ali eu entendi todo poder que aquela transformação tinha. Não só na Layla, mas em mim.

Dois anos depois, veio o Lamar. Novamente minha ex recolheu um cachorro que estava sofrendo na rua. E novamente minha primeira reação foi ter medo. Um medo que me levou a dizer “não, outro não” em um primeiro momento. Mas fui desarmado na primeira primeira troca de olhar. Ao mesmo tempo que vi um cãozinho assustado, enxerguei um ser querendo ser amado.

De novo eu vi uma vida renascer. De novo eu senti o quanto aquilo trazia significado para mim.

Essas duas vidas me mostraram como era boba minha crença de que o ideal é pegar um cachorro filhote. Porque até então eu tinha medo de pegar cachorros mais velhos por achar que eu me apegaria para sofrer em seguida. A Layla viveu comigo 3 anos e não existe nenhum sofrimento nas minhas lembranças. Sempre me traz felicidade lembrar como ela foi amada nesse período e como isso fez bem para ela.

Adotar sempre será algo transformador, mas arrisco dizer que adotar um cachorro adulto ou idoso é mais ainda. Porque você está diante de um ser cheio de histórias, que muitas vezes envolvem rejeição e sofrimento. E diante de si também tem a possibilidade de tornar aquela vida melhor. Não interessa se você vai passar dias ou anos com eles. O que importa é que o tempo seja repleto de amor e dedicação.

Acredite. Isso vai marcar para sempre sua vida.

E não é fácil. Você vai ter que abrir mão de algumas coisas, pois vai ter cães com uma personalidade formada, com manias e com alguns problemas de saúde que podem te trazer custos e idas ao veterinário. Mas não duvide quando eu digo que nada disso se compara à felicidade que você vai receber em troca.

Ah, e é importante sublinhar: essa felicidade é consequência. Ela é fruto de toda dedicação que você precisará ter. E foi isso que vivi com a Layla e com o Lamar.

Nossa vida é curta e no meio dela buscamos sentido e coisas que nos façam sentir toda força dessa existência. E eu garanto para vocês, nada é maior do que doar amor e ver ele prosperar em outro ser vivo.

Gatinho
Copyright 2020 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por
Commit Design - Agência Digital